[ editar artigo]

Sua vocação; sua profissão; sua ocupação; seu sacerdócio?

Sua vocação; sua profissão; sua ocupação; seu sacerdócio?

Como consultor empresarial tenho me deparado com um questionamento recorrente entre os empresários cristãos, principalmente em cenários adversos: estou no lugar que Deus quer que eu esteja?  Confunde-se vocação (chamado), com dificuldades e/ou problemas.  Não pretendo me aprofundar no tema vocação. Mas sim no que refleti nesta semana sobre sacerdócio.   Também não quero me aprofundar no tema dificuldades, pois estas fazem parte da vida. Dificuldades são recorrentes de decisões e de variáveis incontroláveis para nós. O próprio Cristo falou que no mundo passaríamos por aflições (João 16:33), mas para que tivéssemos bom ânimo, pois Ele venceu o mundo.  Em seguida orou ao nosso Pai para que não fossemos tirados do mundo, mas que aqui fossemos livrado do mal (João 17), e que este livrar do mal seria pela santificação na verdade divina.   Adiciono ainda que são as dificuldades que nos fortalecem (Provérbios 15).

Quero aqui me aprofundar um pouco na obrigação de sermos excepcionais no que fizermos. Não que não possamos errar, mas que a vontade e o querer deve sempre para entregar a excelência.   Colossenses 3.23-24 nos adverte para que tudo o que fizermos, seja feito como que para o Senhor. (para Deus) e não como para homens, sabendo que Deus recompensará o trabalho que fizermos. Complementa ainda que é a Deus que estamos servindo.  Esta recompensa vem pelo reconhecimento de quem adquire ou usa o serviço e produto. Mas também pelas bençãos de Deus em nossas vidas. O autoquestionamento constante é o que devo aprender, que habilidade desenvolver, que atitude, que competência devo exercer para que minha atividade seja exercida com excelência?  Que dons preciso ter ou até pedir para que Deus me dê?  Com isso glorificaremos a Deus, nosso Pai.  Vejo que se as empresas cristãs apenas se destacarem pela excelência de seus serviços e produtos, já estarão sendo uma luz neste mundo.

E quanto ao sacerdócio? O sacerdócio tem sentido da delegação do poder e autoridade de Deus. Inicialmente era alguém chamado e santificado para que fosse o mediador entre os homens e Deus. A atividade era regulamentada por uma série de ritos e obrigações.  Era exercido pelos levitas, até a vinda de Jesus, que se tornou o Sumo Sacerdote perfeito, único mediador que pode unir o homem a Deus. Esta atividade é regulamentada pela Graça e pela Fé. Ambas baseadas no amor de Deus para com a humanidade. Mas Cristo nos delega esta autoridade (Mateus 28).  Para que tenhamos e promovamos o acesso direto a Deus, através da reconciliação em Cristo, e da atuação santificadora do Espírito Santo em nossas vidas.  Assim, tornamo-nos sacerdotes para com o meio em que estamos envolvidos.  "Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz." 1 Pedro 2:9

Mas este sacerdócio apresenta alguns desafios e responsabilidades.  O texto de Malaquias 2 os revela o que se espera de um sacerdote e o que acontece com quem não exerce adequadamente o seu sacerdócio.  Pontuo estas obrigações, para autorreflexão: a) Promover a Vida (espiritual, mas também física); b) Promover a Paz; c) Temer a Deus; d) Falar da Lei (Como Deus quer que vivamos); e) Ser Verdadeiro e promover a verdade (única e não relativizada); f) andar com Deus (vida íntima com o Pai em todos os aspectos da vida); g) Ser correto, caminho de retidão; h) desviar muitos de pecados (ajudar aos outros a terem uma vida correta);  i) Guardar o conhecimento (no sentido de compliance e governança, para que ele não se deturpe e amolde ao mundo; ou ainda no sentido de meditar sobre o conhecimento); j) instruir aos outros (mentoria é uma palavra moderna para isso); k) mensageiro do Senhor (levar as boas-novas e a mensagem de Deus para os outros).

Sozinhos não somos capazes de exercer estas responsabilidades. Somente a partir de uma convivência intima com Deus, da entrega total e da presença do Espírito Santo em nossas vidas podemos exercer a nossa profissão e/ou ocupação desta forma.

Lembrando que “A sabedoria é comprovada pelas obras que a acompanham” (Mateus 11:19) , a partir desta convivência com Deus as suas obras serão levadas a comprovarem seu sacerdócio. E assim, Deus falará contigo sobre a sua vocação e o seu lugar no plano dEle. Confirmando se estás no lugar certo ou chamando para um novo lugar no qual encontrarás a plena paz.

Deus nos abençoe.

REINO
Renato Osvaldo Bretzke
Renato Osvaldo Bretzke Seguir

Ajudo a Vencer desafios nos negócios com ética, controle adequado e inovação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você